Terça-feira, 10 de Março de 2009

Os cabelos negros,compridos e oleosos, o vestido longo e rasgado assustavam quem passava e a via sentada na escada da igreja. Diziam que era uma bruxa, mas havia quem soubesse qual o seu nome e onde um dia vivera…

Para muitas pessoas ela era so mais uma desgraçada que tinha destruido a sua vida. Para algumas ela era uma infeliz vitima do destino.
O seu nome era Ester. A minha avo contava que a Ester fora um dia uma linda criança de caracois negros e mais tarde uma espantosa mulher. Desde pequena trabalhara para ajudar os pais com o alimento dos cinco irmaos mais novos. Era meiga e educada para todas as pessoas da vila. Cresceu agarrada ao cabo da enxada, com maos calejadas, que a primeira coisa que faziam pela madrugada era amassar a massa do pao, mais tarde vendido pela mae de porta em porta.
A minha avo contava que a Ester era cobiçada por tudo quanto era homem mas nao se iludia com nenhum.
Um dia, enquanto conversava com as amigas a porta da igreja, viu um trevo de quatro folhas no chao. Dizia-se na altura, que se se encontrasse um trevo de quatro folhas a frente de uma igreja, se deveria rezar um Pai-nosso e pedir um desejo. Ester pediu o seu desejo, rezou o Pai-nosso, e guardou o trevo por baixo do seu colchao.
Duas semanas mais tarde, novamente em frente a igreja, enquanto conversava com as raparigas da sua idade, ele surgiu, qual principe encantado. Era alto, bem constituido, olhos escuros, cabelo preto, pele morena. Quando sorriu ela perdeu-se naquele sorriso de dentes perfeitamente alinhados. Nao demorou muito até se encontrarem vezes sem conta. Ao inicio em frente a igreja, onde conversavam na presença de mais pessoas. Depois, por tras da igreja, sozinhos, sucumbiam ao amor e a paixao.
 Passaram algumas semanas, até Ester perceber que a sua menstruaçao nao chegava e temeu o pior. Quando contou ao seu amor, ele prometeu leva-la para longe e faze-la feliz, juntamente com a criança gerada por ambos. No entanto, no dia seguinte nao apareceu em frente a igreja. Ester esperou dias a fio, sem sair dali. Nao comia, nao bebia, so chorava. Ao fim de uma semana foi a mae que a arrancou das escadas frias. Quando a jovem contou ao pai o que se passara, este espancou-a. Era uma rameira, indigna da familia que tinha e merecia morrer. Quem a tirou debaixo da ira do pai foi a mae, chorosa, e atirou-a para a rua. Toda rasgada e a escorrer sangue, Ester soube naquele momento que estaria sozinha no mundo, pois ja nem a criança, que o seu ventre carregara horas antes, existia.  
Foi entao que Ester voltou para a frente da igreja. Ali esperava por ele, ali bebia recordaçoes e comia sonhos. Ali sobrevivia.
Se Ester tivesse nascido uns bons anos mais tarde o seu destino poderia ter sido diferente. Assim, foi so mais um martir nas maos de uma sociedade machista.
Quando se ouviu um grito vindo da porta da igreja, naquela manha de primavera, a vila soube. Ester havia morrido. De fome, de sede, de frio, de tristeza? De injustiça, desamparo e humilhaçao por parte do Mundo.
 
 

Historia minha e ficticia para a Fabrica de Historias



publicado por Jo às 14:16 | link do post | comentar | favorito

16 comentários:
De adnirolfpa a 10 de Março de 2009 às 14:47
Magnifica.
E mais não digo para não estragar.
Bj princesa


De Jo a 10 de Março de 2009 às 22:31
OBRIGADO tia :)
beijo grande!


De LSP a 10 de Março de 2009 às 14:50
historia muito bem conseguida e muito realista.
parabens.
felicidades


De Jo a 10 de Março de 2009 às 22:31
Obrigadissimo :)
beijinhos


De Patricia a 10 de Março de 2009 às 15:21
adoro as tuas histórias :)


De Jo a 10 de Março de 2009 às 22:32
és uma querida :) :) :)


De Cloudy a 10 de Março de 2009 às 17:47
Adorei a tua história amiga! Infelizmente assim era em tempos idos...Felizmente quanto a isso asmetalidades estão a mudar!
Beijocas!


De Jo a 10 de Março de 2009 às 22:32
sim amiga, pelo menos ja nao é tao grave como antigamente... mas claro que ainda existem pessoas com mentalidades do sec passado..
beijo grande


De antoniofernando07 a 10 de Março de 2009 às 19:18
Olá Jo
Parabens pela história.
É engraçadp que eu também tenho no meu jardim plantado num vaso um trevo de quatro folhas.

Tem uma boa noite

BJN


De Jo a 10 de Março de 2009 às 22:33
:) Ola !
Eu nunca vi um trevo de 4 folhas, mas qd era miuda andava sempre atras dos trevos para tentar encontrar um!

dorme bem! beijinhos


De catarina a 10 de Março de 2009 às 21:08
ta linda a historia, adoro as tuas historias mana! *


De Jo a 10 de Março de 2009 às 22:34
e eu adoro-te a tiiii :)


De Andorinha a 12 de Março de 2009 às 17:23
Gostei MTO do texto! Parabéns.
Volta sempre e tens lá a resposta ao teu comment, do qual tb gostei :) Até breve


De Jo a 13 de Março de 2009 às 09:58
:) ola !!!! Obrigado :) é sempre bom saber que as pessoas gostam do que escrevemos :) vou ja la espreitar ;)


De Ana C Nunes a 13 de Março de 2009 às 13:27
Muito bom!
Gostei da tua escrita e essencialmente da mensagem que transmitiste.


De Jo a 13 de Março de 2009 às 13:32
Obrigada Ana :) volta sempre! beijinho


Comentar post

Este sim, o meu blogue mais que pessoal...
mais sobre mim
posts recentes

Eu vou para outras parage...

Um ano...

Diferenças culturais...

Apanhei uma buba...

Chocante...

Nada melhor do que conver...

Apanhei uma buba...

ai...

é gozo nao é ?

Entao a modos que...

arquivos

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

mais comentados
47 comentários
45 comentários
42 comentários
41 comentários
36 comentários
36 comentários
comentários recentes
Olá, pessoalmente ficava pelo perfume da Armani......
existem diferenças! mas temos de assegurar que ele...
No plano mental é muito fácil julgar...
bem tenho andado desaparecido mas quando decido ve...
Ricardo, o link so nao é para alguns, mas é por es...
não era mais facil colocar logo aqui o link da nov...
Parabens... O teu blog eh fixe.Eu tbm ja tou cm o ...
E que muitos outros anos se repitam... para sempre...
Querida Jo,Fiquei triste, porque gosto de ir passa...
Adoro o blog
blogs SAPO
subscrever feeds