Quarta-feira, 10 de Junho de 2009

Foi no dia em que a viu com um outro homem que percebeu que teria de tomar uma atitude.

Amava-a ha anos em segredo, sucumbido a tristeza de nao a ter nos seus braços, excepto quando a amizade o permitia. Queria por tudo ensinar-lhe a vida, o amor, a paixao, leva-la nos braços do seu amor até ao infinito.

Amigos, eram so isso. Uma amizade que o corroia por dentro. Uma amizade que destruia cada vez mais aquele ser incapaz de aceitar a verdade, aquele ser que absorvia, por cada poro seu, a vida daquela mulher.

Ela desconfiara sempre deste amor, mas nao retribuia, e como tal, fingia nao ver a loucura que ao longo do tempo se apoderava dele.

Ela apaixonou-se. Ela cedeu ao amor, mas no regaço de outro. Ela quis viver mas nao ao seu lado.

Ele nao tolerava. A sua loucura fe-lo crer que a poderia arrancar dos braços do outro para sempre. O plano diabolico iria entrar em acçao.

Susana adorava-o, apesar de o sentir enlouquecer . Eram amigos e ela esperançava que ele um dia encontrasse o amor noutro alguém. Quando recebeu o convite dele para jantar, ainda nao sabia que ele descobrira a relaçao dela com o Joao. Queria prepara-lo para a conversa, de modo a que o magoasse o menos possivel.

Nao foi nessa noite que se deu a conversa. Quando Susana chegou ao apartamento de Paulo, este abriu a porta sorridente. Estava perfumado, com boa cara. Entrou e olhou em volta. Tudo limpo. Flores na mesa, muitissimo bem decorada, e um porta-retratos em cima do movel com a foto dele e outra pessoa. Uma jovem, bonita, com um sorriso aberto. Susana nao perguntou nada sobre a foto. Melhor assim. Poderia entao contar-lhe tudo e seguiriam as suas vidas como verdadeiros amigos. Quem sabe poderiam também sair os quatro. Ela iria adorar. Tinha Paulo como um verdadeiro irmao e ja o conhecia ha anos.

Sempre fizeram grandes viagens juntos, e muitas vezes as pessoas julgavam-nos namorados tao grande a cumplicidade.

- Senta-te! Nao estejas de pé a fitar-me enquanto cozinho, deixa-me nervoso.

Susana aproximou-se .

- Ainda falta muito ? – perguntou.

- Nao, nao… esta mesmo quase. Queres beber alguma coisa ? Um martini ?

- Sim, pode ser. Eu preparo, nao te preocupes.

Conversaram animadamente e Susana sentia que alguma coisa estava a deixar o amigo feliz. « Com toda a certeza um novo amor » - pensou.

O jantar estava a correr lindamente até que Paulo se sentiu mal.

- Paulo ! Calma, que se esta a passar ?

Entre dores e nauseas, Paulo sorria.

- Eu sei Susana, eu sei que tinhas outro… achas que eu deixaria tudo acontecer conforme planeavas ? Mataste-me Susana, é o que se esta a passar…

A rapariga olhava-o confusa.

- Nao estou a perceber…

Paulo agarrou-lhe a mao.

- Nao estas mesmo? – acariando-lhe a mao, e ja quase sem folego, respondeu – Nao ficas comigo mas também nao ficas com ele…

Foi tudo muito repentino até que este caiu literalmente no chao. Susana entrou em panico e chamou a ambulancia. Roia as unhas enquanto chorava como doida.

Quando os médicos chegaram ja nao havia nada a fazer. Estava morto e fora envenenado.

- Envenenado ? Mas como ? So ca estavamos os dois!

A policia entrou nesse momento. - Minha senhora, queira acompanhar-nos por favor.

Susana olhou-os confusa.

- Nao acham que eu…

Foi entao que percebeu. O desespero apoderou-se dela.

 

Susana foi condenada a prisao perpétua.

Paulo deixou uma carta escrita a « namorada » que arranjara, em que dizia sentir medo da reacçao de Susana quando soubesse da « relaçao » deles.

Paulo planeou a propria morte, de modo a culpar Susana, para que esta nao entregasse a sua vida a outro homem… inventou uma namorada, cujo rastro a policia nunca conseguiu encontrar, escreveu uma carta para a mesma inventando medo por Susana, e matou-se, envenenou-se, dando a entender que fora Susana…

 

Crime mais perfeito seria impossivel… mas isso so Susana sabia…

 

Texto ficticio escrito por mim para a Fabrica de Historias



publicado por Jo às 13:27 | link do post | comentar | favorito

5 comentários:
De Isa_ a 11 de Junho de 2009 às 08:17
LOLADA... q história mais parva!!!


De Jo a 11 de Junho de 2009 às 08:22
:) a vida também uma historia parva :) com pessoas parvas a mistura. :)


De Pankas a 11 de Junho de 2009 às 10:47
E amiga!
Tens ai uma veia criminalista! lol!!!

Gostei sim!
Não é só histórias de amor com finais cor-de-rosa!


De Jo a 11 de Junho de 2009 às 12:18
:P eu ca detesto é historias com final cor-de-rosa salvo rars excepçoes :P
beijaooo!


De Unhas Decoradas a 6 de Julho de 2009 às 10:00
Ai que fim ruim! De vez em quando tem de ter um fim feliz!!! Boa história!


Comentar post

Este sim, o meu blogue mais que pessoal...
mais sobre mim
posts recentes

Eu vou para outras parage...

Um ano...

Diferenças culturais...

Apanhei uma buba...

Chocante...

Nada melhor do que conver...

Apanhei uma buba...

ai...

é gozo nao é ?

Entao a modos que...

arquivos

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

mais comentados
47 comentários
45 comentários
42 comentários
41 comentários
36 comentários
36 comentários
comentários recentes
Olá, pessoalmente ficava pelo perfume da Armani......
existem diferenças! mas temos de assegurar que ele...
No plano mental é muito fácil julgar...
bem tenho andado desaparecido mas quando decido ve...
Ricardo, o link so nao é para alguns, mas é por es...
não era mais facil colocar logo aqui o link da nov...
Parabens... O teu blog eh fixe.Eu tbm ja tou cm o ...
E que muitos outros anos se repitam... para sempre...
Querida Jo,Fiquei triste, porque gosto de ir passa...
Adoro o blog
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
Vamos votar nos Xutos e Pontapés para Melhor Artista Europeu da MTV
blogs SAPO
subscrever feeds